segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Pétalas caídas



De pétalas caídas no caminho
É agora o sentido da minha vida
Quantas rosas deixei envelhecer
Pelo medo que me tolhia cada espinho
Que se atravessa na carne ferida
De cada vez que acordo ao amanhecer

Aquele fogo que outrora me consumia
Não passa agora de uma pequena chama
Prestes a apagar-se pela tua ausência
Está tão fraca e quase não alumia
De nada serve eu ter uma boa cama
Não estando lá aquela que comigo dormia

Quando olvido tua face fria e pálida
Que era sedosa e de cor ruborizada
Sinto um enorme vazio no coração
E recordo aquelas noites até madrugada
Passadas ao teu lado, minha amada
Onde se misturava o amor com a emoção

A vida que antigamente nos uniu
Hoje mantém-nos tão distantes
Foi algo de belo que passou docemente
Um amor sublime que não se sumiu
Mas que já não é como dantes
Por mais que eu me esforce e tente

Choro amargamente a minha desdita
Por não conseguir reaver os teus carinhos
E o toque macio que me percorria
Como o afagar de tua mão bendita
Os ternos e prolongados miminhos
De mulher que sabia o que queria

De raiva e dor são os meus dias
Vivo do murmúrio das tuas juras de amor
Que então me fizeste e não cumpriste
Anseio pela chegada das noites tardias
Pelas manhãs longe de qualquer temor
Para encontrar um amor que me conquiste


14 comentários:

Lu Nogfer disse...

Olá meu amigo!

Andou meio sumidinho nhein?!rs
Estava com saudades de voce aqui!
Que bom ve-lo de volta com linda poesia como sempre apesar de um pouco triste.

As rosas envelhecem e caem suas pétalas mas nunca perdem sua beleza e sua meiguice!Ha que se ama-las mas que se cuidar com os espinhos!
Quando ainda existe o sublime amor sempre ha sempre uma chance de reconquista!

Lindo poeta,visite o meu cantinho que tem uma homenagem aos poetas do meu coraçao e voce com certeza é um destes!

Beijos em seu lindo coraçao

Lu

Tentativas Poemáticas disse...

Amigo Eduardo
Também tenho andado a navegar aos soluços.
Venho desejar-lhe os melhores votos de SANTO NATAL e um óptimo 2010, sobretudo com aquilo que sempre considerei mais importante: a SAÚDE.
Grande abraço

António Pais

--
http://antoniopais1.blogspot.com
http://contosdaguerracolonial.blogspot.com

Chica disse...

Profunda e tristonha reflexão nesse teu lindo poema! um abraço e tudo de bom sempre,chica

Mírian Mondon disse...

Eduardo que surpresa agradavel foi sua visita no meu blog! Obrigada por seu carinho!

Foi bom retornar a esse templo poético, que só um coração sensível como o seu poderia construir!

Boas Festas que esse final de ano seja cheio de alegrias e que 2010
um ano inesquecível para voce!

Abraço,

Bella disse...

Só mesmo os poetas podem comungar tamanha sensibilidade.
Encantada com suas palavras.

O mar me encanta completamente... disse...

Oi Eduardo.
Sinceramente fico lisonjeada por tua atenção e muito feliz pelo carinho que manifesta pelos meus escritos.
Graças a Deus ainda existem pessoas e que lê para além das palavras.
Por isso, fico realmente feliz por saber que o que eu escrevo, é lido por outras pessoas sensíveis como você.
Escrever é como respirar, é necessidade e tudo está de
certa forma no contexto da minha vida.
Obrigada.
Bem-vindo, sempre.

Que sempre muitas petalas, encham seu caminho de perfume.
beijos

Glória Salles

Lila disse...

Meu amigo,

Certa vez, um poeta, com o qual tive o gozo de poder ter me encontrado nessa vida, me chamou Musa...
Numa outra, outro poeta, abriu seu peito e usou de tamanha sinceridade que me tocou a alma com suas mãos...
Outras vezes, outros poetas têm me tocado, comovido, emocionado...
Concluo que a poesia, independente de que mão tenha vindo, é vida.
Uma vida simbólica e frágil, porém imortal. Atravessa séculos inteiros sem se tornar démodé.
Amo as palavras, tão docemente conjugadas.
Um grande beijo... sou sua fã!

Lila Gomes

AFRICA EM POESIA disse...

meu amigo

O meu livro de Natal é para mim ...Magia...Espero que ao lerem um pouco do que vou deixando... sintam o mesmo
eu Gostava de sentir todas as crianças a terem sempre Natal

um beijo

MENSAGEM DE NATAL

Natal
Do menino negro
Que é igual
Ao menino branco
E o menino negro
Ao ser amamentado...
A sua Mãe
Também Negra
Alimenta-o
Dá-lhe o seu leite
Leite de Negra
Que é apenas
Leite Branco!...

LILI LARANJO

Se quizeres um livro manda a direcção para o meu email.. beijos

Olavo disse...

Um belo poema que traduz imparmente td que sinto no momento.
Abraços

Lu C. disse...

Querido Eduardo, obrigada por sua visita no Empório do Café e no Retratos em Degradê.

Sim, estou de férias, mas ano que vem retorno com força total, se Deus quiser, e te espero pra um café com poesia no Empório.

Boas festas e um ano novo de paz!
Beijos da Lu

Sonhadora disse...

Meu amigo
Obrigada pela visita.
Maravilhoso poema.

A vida que antigamente nos uniu
Hoje mantém-nos tão distantes.

Diz-me muito.
Beijinhos
Sonhadora

Deusa disse...

Ola meu querido
Que saudades...
Quero ver o sorriso nos teus lábios , tal e qual tens estampado nessa tua foto.
Um Abraço Carinhoso

Sandra disse...

VENHO LHE AGRADECER POR TUDO O QUE APRENDEMOS JUNTOS ESTE ANO. DIZER QUE TE CONHECER, FOI UM GRANDE PRAZER. SAIO DE FÉRIAS, MAS LEVO A SAUDADE DE CADA UM, QUE JÁ FAZ PARTE DE MINHA VIDA.
VOCÊ É UMA DELAS.
FELIZ NATAL!
QUE DEUS TE ABENÇÕE E LHE DE TUDO DE BOM EM 2010.
LOGO ESTAREMOS JUNTOS DE NOVO.
FICO MUITO FELIZ QUANDO ESTÁ, PPRESENTE. POIS TUA AMIZADE É UMA FLOR COM OS MAIS SENSIVEIS OROMAS.
MUITO OBRIGADA PELA SUA COMPANHINA EM 2009.
SUCESSO, PAZ E MUITA ALEGRIA,.
VENHA NOS MEUS BLOGS, BUSCAR UM CARTÃO DE NATAL.
COM MUITO CARINHO
SANDRA

Carlos Alberto disse...

Muitas vezes, não vivemos por medo de errarmos é onde erramos e só percebemos que "não cuidamos das rosas" tarde demais.Na inocência acreditamos no amor e quando se vai nos restam as lembranças, que não se sabe ainda, se é melhor lembrá las ou esquecê-las.
Parabéns, continue assim rabiscando poesia.