sexta-feira, 7 de maio de 2010

Uma lágrima


^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
Caminhava vagarosamente pelo carreiro
Absorvido em pensamentos sem presente
Calcorreava a calçada de pedra desgastada
Eram os pés que me impeliam por inteiro
O meu ser estava completamente ausente
Sem saber a razão ou o porquê da caminhada

Nada ouvia e o que via era apenas horizonte
O que me rodeava de nada interessava
De repente fui sacudido por um estrondo
Uma pedra rolara pela encosta do monte
Tombou no caminho por onde passava
Tropecei abruptamente e caí redondo

Ao sentir a dor, rolou uma lágrima pela face
Caiu no chão e continuou rebolando
Desceu o declive e submergiu na ribeira
Só então retornei à realidade, como quem nasce
E recordei o que estava antes pensando
Era em ti, mulher que nunca foste companheira

Aprendi muito cedo a soletrar o verbo amar
Usei-o durante a vida para exprimir emoções
Agora substitui-o por palavras de novas menções
Mas não as quero revelar, antes prefiro o doce penar
De uma alma que sofre vis e constantes tentações
Preferindo fazer das lágrimas um mar de lamentações

Mulher que outrora amei, que amo ou amarei
Só posso dizer-te que as palavras, mesmo sendo belas
Não chegam para descrever sentimentos íntimos
Quando duas pessoas ousam fazer do amor Rei
Devem abrir seu coração como amplas janelas
Mas vedar aos sentidos o caminho para outros destinos

Por amor nascemos, pela dor morremos
Pelo meio está uma vida que pode ser intensa
Aqueles que albergam o amor sentem a felicidade
Mesmo que amar signifique sofrer, é de somemos
A alegria de dar e também receber é imensa
Nada impede o solidificar de um amor, nem a saudade

4 comentários:

Sandra Botelho disse...

O amor tem que ser reciproco, senão ele é apenas dor...
bjos achocolatados

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Eduardo,

Amar é válido de qualquer maneira. Embora seja muito melhor se correspondido, porque senão, haverá um vazio e uma angústia arrebatadora. Evidente, o amor precisa ser amado.

Beijos,

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Eduardo,

Passei para lhe desejar um bom final de semana...

Beijos,

Dica Cardoso disse...

E quão imensas e promissoras são as terras do amor!Basta pisarmos em seu solo para sentirmos suas raízes ficarem-se em nós!Sinto o mover desse nobre sentimento em teu texto!Profundo e amoravelmente forte!Que bom que estive aqui!
Obrigada
Bela paisagem!
Abraços no coração