terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Avé Maria


Maria mãe de Jesus
Mãe cheia de graça
Maria que o amor conduz
Com o pão e o vinho da taça
Pão que é o corpo
Vinho que é o sangue
Mistério ainda infinito
De redenção e amor
Começa com um SIM
Maria o pronunciou
Seu coração O aceitou
Seu ser o concebeu
Nas palhinhas o pousou
Os animais o bafejaram
Os Reis o adoraram
Os poderosos o odiaram
Os humildes o acolheram
Maria também nossa mãe
Que nos levas a vosso filho
Que sofreste por Ele e com Ele
Recebe as nossas súplicas
Daqueles que não têm pão
Roupa para se agasalhar
Um tecto para guarida
Daqueles que não têm saúde
E carência de instrução
Dos que clamam por justiça
E dos sedentos de amor
Maria das bodas de Caná
Que na falta do vinho assim disseste:
"Fazei o que Ele vos disser"
Atendei a nossa prece
Olhai e acolhei em vosso coração
Tantos pobres e humildes deste mundo
Espaço de vida, mas também de oração
Tempo de um ser concedido
Vida de agruras, desditas e alegrias
Local de passagem efémero
Com tempo previamente marcado
No nascer, viver e fenecer
Que o exemplo de Jesus
E o vosso SIM a Ele
Sejam no caminho da cruz
Nosso doce embalar n'Ele